História

História

Há mais de 200 anos, uma colónia formada por famílias de pescadores de Ovar, deslocou-se até este lugar atrás da riqueza da fauna marinha. Tratava-se ainda de encontrar um lugar suficientemente próximo do Porto que permitisse colocar o pescado naquela cidade em boas condições de utilização, já que se desconheciam ainda processos de conservação.

Nos primeiros tempos estes “ovareiros” (daí o nome vareiro, nome pelo qual são conhecidos os pescadores nesta zona) permaneciam na costa apenas durante a época de pesca, regressando à Terra Natal no inverno, quando o mar impossibilitava a pesca em segurança.

Nómadas em certo sentido, estes primeiros colonos não construíram habitações, pernoitando em abrigos improvisados, muitas vezes utilizando as próprias embarcações viradas ao contrário. A fixação da população em Espinho começou a fazer-se por volta do ano de 1776, após ficar conhecido o “segredo” da salmoura da sardinha, que permitia a sua conservação e venda durante a época baixa da pesca. Os pescadores começaram então a fixar-se resolvendo o seu problema económico quando, no Inverno o mar se “fechava”.

Surgem então as primeiras habitações – os palheiros – dos pescadores já sedentarizados. Mais tarde, muitas destas habitações haveriam de ser adquiridas por famílias de posses e submetidas a melhorias, vindo assim a formar-se a colónia balnear de Espinho.

Em menos de meio século, Espinho tornar-se-ia uma das principais praias do Norte de Portugal.O concelho foi criado em Agosto 1899.A Cidade deve o seu nome a um lugar da freguesia de S. Félix da Marinha, Villa de Spino, vila esta existente durante a ocupação romana da Península Ibérica.

Por outro lado, há uma lenda que conta que o nome terá sido atribuído por dois galegos que naufragaram junto à costa. Estes ter-se-ão salvo agarrados a uma prancha de madeira, discutindo depois a origem desta, um dizia que ela era feita de castanho, mas o outro garantia: “No! És Piño!”. Terá sido então da junção destas duas palavras que surgiu o nome Espinho.
Espinho viveu um período de grande crescimento urbano e estabilidade económica após a construção de uma estação dos Caminhos-de-ferro em 1876. Actualmente a linha ferroviária foi enterrada proporcionando a passagem direta das pessoas para a zona balnear.

O mar é então parte essencial da história desta cidade, foi o meio de subsistência dos seus primeiros habitantes, e continua hoje a ser a fonte de rendimento de muitas famílias “vareiras”.

Foi graças às fantásticas praias da cidade que Espinho se tornou, durante o fim do Séc. XIX, uma das estâncias balneares mais procuradas do país, gerando uma enorme afluência de gente da alta burguesia e nobreza que fizeram a cidade crescer e ser o que é hoje. Ainda nos nossos dias são as praias e o turismo balnear a maior fonte de rendimento da cidade.